quarta-feira, abril 15, 2009

Existem canções. . . E existe a podridão!


A música tem mesmo o poder de mexer com as emoções e lapidar os sentimentos, fazendo uma retrospectiva à memória e congelando momentos especiais, pra depois os trazer em qualquer que seja a hora. Basta colocar a trilha sonora específica para que a magia aconteça e determinada pessoa que há tempos não se vê, surja e remonte aquela época especial, aquela frase especial, memorável, divinal. Tornou-se há séculos um instrumento realmente maravilhoso, responsável por inúmeras sensações diversas que despertam nas pessoas saudade, amor, melancolia, até ódio. É inegável sua influência na mente e no nosso dia-a-dia.
Uns afirmam que a linha rítmica é responsável para que fique incutida no subconsciente do homem. Outros dizem que a melodia aguça os sentidos, os deixando facilmente vulneráveis a sua influência. Eu ainda prezo pelos versos. Desde criança fico analisando a letra, tentando interpreta-la ou encaixando-a em determinado momento do dia ou em algo que aconteça em meu viver, ou simplesmente admirando a graça e coerência. O meu fascínio é pessoalmente sempre tendente à letra. A beleza da poesia me chama um pouco mais atenção que, junto com uma bela melodia, fica realmente celestial. Combinações perfeitas, tais como Vieste, de Ivan Lins, ou Encontros e Despedidas, de Milton, na roupagem espetacular de Maria Rita; Memória da pele, de João Bosco, Até pensei, de Chico e Nana Caymi. Djavan, Bethânia, Gonzaguinha, Gal, Elis. etc.
Nos seus decursos, a música obviamente sofreu, sofre e sofrerá alterações e modificações, modernizações e novas adequações de público e assim surgirão novos conceitos musicais que atenderão ao expectador jovem, remanescente e moderno.
Contemporaneamente, a música passou por uma mutação drástica, como assim devia ser, e eu ainda acreditaria veementemente que essas alterações fossem aperfeiçoamentos, transcendência, ou mesmo aprimoramentos. Ou talvez cópias do que já existe, pois não?! Terminantemente não é o que acontece.
O que acontece na verdade é uma degradação total e misturas descabidas de pornografia com um ritmo, um barulho, um sei-lá-o-que pobre e sem sentido algum, ferindo valores morais que são a essência de um viver sadio. O problema nem é esse propriamente dito, visto que vivemos num país livre, onde qualquer um pode falar o que quiser e a liberdade de expressão seja talvez a maior conquista de nós, brasileiros. O problema é a ascensão, a popularidade, o sucesso que tais depreciações culturais vêm atingindo na TV, rádio e internet. É o que chamo de agressão, de falta de respeito, de crime.
Ainda não consegui criar nenhuma compreensão que explique a aceitação do público, que compra essa porcaria e a faz crescer tanto assim principalmente entre os jovens. Talvez a batida forte? O ritmo funk? A sujeira incitada em suas letras escabrosas e horrorosas? Não acredito que alguém ouça algo de tão improdutivo e retrocesso, ferino a qualquer cérebro, e ainda assim assine em baixo, declare a própria imoralidade, comprando ou executando sem o mínimo de vergonha em ouvir a quantidade de bobagens e palavras escabrosas, que incitam o sexo e detalham posições sexuais, cantados também, pasmem, por mulheres que querem “ir sentando”, as denominadas “cachorras e piranhas ou putas”. Não acredito também que seja tamanha falta de cultura na periferia ou dentre o público adolescente, que é imaturo e não sabe ainda destingir o que é bom do que é horrível. Só tendo um distúrbio irreversível, demência mental alienadora. Não pode ser!!!
Essas músicas ferem o básico, do básico, do básico em se tratando de postura, de dignidade, de respeito a si e ao próximo. Não tem nada a ver com falta de cultura. É burrice violenta. Violência burra. É muito mais sério do que me parece. É realmente uma delinqüência que deveria ser punida, pois além de ferir a moral e os bons costumes (e os ouvidos de muita gente respeitosa), faz com que haja uma espécie de depreciação do caráter, além de pessimamente influenciar nossas meninas que, de forma precoce despertam para o sexo e, conseqüentemente tornam-se mães solteiras aos treze ou quatorze anos.
E vou além com a seguinte questão: Como combater a pedofilia, se alguns meios de comunicação incitam esse tipo de influencia em nossas crianças desde cedo? Como acabar com a pedofilia na internet, se do próprio youtube nossas crianças adicionam vídeos no orkut que incitam o sexo e a pornografia deliberadamente? . É um contra-senso. Uma idiotia completa.
O não limite fez com que chegássemos ao caos da falta de vergonha e da inversão de valores que estão destruindo (sem eufemismos) a mente dos jovens tão nocivamente quanto a droga.
Existia uma linha tênue entre o humor (cito como exemplo os Mamonas Assassinas que elaboravam inteligentemente letras com piadas coerentes e músicas que até a linha melódica e rítmica foram compostas com pitadas de irreverência) e a sordidez de músicas imundas (por força de expressão, pois não considero isso como sendo música), mas essa linha foi arrancada e será arrancada enquanto não despertarmos para o bom senso de jogarmos no lixo toda essa porcariada, comprando e oferecendo a nossos jovens em nossas festas de aniversário, churrascos na laje e baladas na escola o que enaltece o ser humano e representa a beleza e o otimismo de um povo que – como quimericamente Milton descreveu – ainda olha com pudor e ainda vive com pudor.

2 comentários:

tucart disse...

estou de acordo com o articulos em sua totalidade, ja que eu nao sou devota de nenhum tipo de poluiçao ...este tipo de musica que aqui nao existe, mais sim o famoso reggaeton que vem a ser a versao `latina´ do tao chulo funk (letras)que somente denigran a mulher cachorra,piranha ....o que seja nao é um adjetivo qual nenhuma mulher deveria disfrutar,mas ainda assim por uma questao de moda ou de seguir a corrente ...insitem algumas pessoas em serem ignorantes e incultos ,e estes opnao que a nossa mpb(merda popular brasileira) e bossa nova (bosta nova)assim nominadas por eles é o que vem a ser de ma qualidade.você bem diz que a liberdade de expressao está ,mas tambem esta latente a presença da burrise voluntária. muito bom tema.

William & AmiGos! disse...

Parabéns
se o texto for mesmo seu..
devo a ti parabens

pois tambem fiz um post sobre essa Reflexao Critica da até entao musica brasileira

que cá entre nós esta indo de mal a pior.. eu me lamento muito


abraços visite sempre nosso Blog

adm,

William Apocalypse

Blog: William E Amigos!,